Editorias / Mudanças Climáticas
HOME | Notícias | Aquecimento pode reduzir PIB de países em até 1/5, aponta estudo

Mudanças Climáticas

14 de Setembro de 2009

 

Aquecimento pode reduzir PIB de países em até 1/5, aponta estudo

 no estado indiano de maharashtra, secas extremas, que historicamente ocorrem a cada 25 anos, podem surgir a cada oito anos
Secas extremas que assolam o oeste indiano a cada 25 anos, podem surgir a cada oito/Foto: Maria Hsu

Um estudo divulgado nesta segunda-feira, 14 de setembro, aponta que as catástrofes associadas ao aquecimento global podem reduzir em até um quinto o Produto Interno Bruto (PIB) dos países (até 2030), caso medidas emergenciais deixem de ser tomadas. O documento intitulado "Montando um desenvolvimento resistente ao clima" foi elaborado pelo Grupo de Trabalho para a Economia da Adaptação Climática, formado pelas Nações Unidas em parceria com entidades estatais e privadas.

"Medidas facilmente identificáveis e com boa relação custo-benefício (como a melhoria da drenagem, barreiras marítimas e melhoria nos regulamentos para construções) poderiam reduzir os potenciais prejuízos econômicos resultantes da mudança climática para todas as regiões", informa à nota que acompanha o estudo de 147 páginas. O relatório foi divulgado a exatos 83 dias da 15ª Conferência das Partes sobre Mudanças Climáticas (COP-15), que será realizada em Copenhague, capital da Dinamarca.

O grupo de trabalho examinou oito regiões do mundo, desenvolvidas e vulneráveis, com propensão à secas, furacões, inundações e elevação do nível dos mares, como resultado da mudança climática global. No cenário mais extremo, cheias na Guiana poderiam reduzir o PIB do país em 19% até 2030. Na Flórida, nos Estados Unidos, a economia local encolheria 10% no mesmo período.

 inunda��es na guiana poderiam reduzir o pib do pa� em 19% at�2030
Inundações na Guiana poderiam reduzir o PIB do país em 19% até 2030/Foto: multimidiaabr

"Os países precisarão se planejar para a adaptação com muito mais rigor, foco e urgência do que até agora", escreveu em um prefácio ao estudo Nicholas Stern, economista e ex-consultor do governo britânico. "Devemos às pessoas mais vulneráveis do planeta uma combinação do melhor apoio possível para fortalecer a capacidade adaptativa", complementou.

Conta

Uma das maiores discussões às vésperas da COP-15 refere-se ao valor que os países mais industrializados deverão destinar as nações emergentes para o combate ao problema. O relatório constata, por exemplo, que o aquecimento deve aumentar os danos provocados por furacões na Flórida, custando ao Estado US$ 33 bilhões adicionais por ano até 2030.

No estado indiano de Maharashtra, secas extremas, que historicamente ocorrem a cada 25 anos, podem surgir a cada oito anos, o que também resultaria em prejuízos bilionários. O secretariado de mudança climática da ONU avalia os custos, incluindo medidas como o desenvolvimento de cultivos resistentes a secas e o combate a epidemias, em 40 a 170 bilhões de dólares por ano até 2030.

*Com informações da Reuters

Leia também

Faça sua doação!

Estamos precisando muito da sua ajuda e qualquer valor doado é de grande importância.

Você pode impedir que este trabalho importante de conscientização acabe, fazendo sua doação. Todos os recursos obtidos serão utilizados para a manutenção de nossas atividades. Vale lembrar que todo conteúdo é 100% gratuito e acessível a qualquer cidadão.

Clique aqui e saiba como fazer a sua doação!

Comentários

Deixe sua opinião sobre este assunto.

Dicas
Veja Mais Dicas
Guias
Veja Mais Guias
 
Shopping EcoD
Abrasivo Digital