Editorias / Energia
HOME | Notícias | Brasil terá usina solar de 50 MW no Ceará

Energia

26 de Janeiro de 2009

 

Brasil terá usina solar de 50 MW no Ceará

 usina solar
A exploração da energia solar ainda engatinha no Brasil/Foto: Eduardo Amorim

As previsões promissoras para o mercado futuro de energia solar já impulsionaram investimentos importantes no setor em todo o mundo. No Brasil, a MPX Energia, companhia do grupo EBX, anunciou, no início de 2008, um projeto para a implantação de um parque de energia solar no Ceará (já em construção) com potência de 50 MW. O projeto deverá resultar na primeira usina solar comercial no país.

A iniciativa inclui uma parceria com a empresa chinesa Yingli, fabricante de equipamentos de geração fotovoltaica, que considera instalar uma unidade produtiva no Estado. A exemplo do que já é uma realidade em São Paulo, onde o governo municipal prevê a instalação de um aquecedor solar em edificações com quatro ou mais banheiros, também já existe um grupo de empresas brasileiras iniciando investimentos na produção de painéis solares para instalações em residências.

A expectativa no setor é que esse mercado impulsione a venda dos equipamentos e abra caminho para ações mais abrangentes no futuro. O principal obstáculo para a geração solar em escala comercial é o custo das células fotovoltaicas. A instalação de uma usina solar é de cinco a 15 vezes mais cara do que a de uma termoelétrica de mesma potência, abastecida por gás natural.

 painel solar
Painel para a captação de energia solar em Barcelona, na Espanha/Foto: Carlos Caicedo

Ainda pouco desenvolvida no Brasil, a geração fotovoltaica de energia elétrica é feita atualmente em caráter experimental, em comunidades afastadas da rede de eletricidade. Com capacidade de 0,02 MW, a usina de Araras, em Rondônia, é a única solar do país registrada na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Todavia, países como a Alemanha, Estados Unidos, Espanha e Japão, que concentram 93% de toda a energia elétrica de origem solar do mundo, mostram que a exploração dessa matriz energética não é algo tão inimaginável e inviável de se executar.

No caso japonês, segundo maior país em energia solar, com 1.918 MW instalados em 2007, o sistema chamado grid-connected distributed foi à solução. Ele é formado por milhares de painéis solares instalados em residências, mas interligados com a rede nacional de energia.

Resultado: quando se utiliza energia acima do que produz, o consumidor compra desse sistema. Quando há excedentes, ele passa a vender energia elétrica. Este mesmo modelo é usado na Inglaterra, Dinamarca e Itália.

Leia também

Faça sua doação!

Estamos precisando muito da sua ajuda e qualquer valor doado é de grande importância.

Você pode impedir que este trabalho importante de conscientização acabe, fazendo sua doação. Todos os recursos obtidos serão utilizados para a manutenção de nossas atividades. Vale lembrar que todo conteúdo é 100% gratuito e acessível a qualquer cidadão.

Clique aqui e saiba como fazer a sua doação!

Comentários

Deixe sua opinião sobre este assunto.

Dicas
Veja Mais Dicas
Guias
Veja Mais Guias
 
Shopping EcoD
Abrasivo Digital