Editorias / Biodiversidade
HOME | Notícias | EcoD Básico: Algodão orgânico

Biodiversidade

20 de Outubro de 2010

 

EcoD Básico: Algodão orgânico

capa
A cultura do algodão orgânico promove a biodiversidade/Foto: Martin LaBar

O algodão orgânico é aquele produzido sem o uso de produtos químicos sintéticos, tais como agrotóxicos, adubos químicos ou outros insumos prejudiciais à saúde humana, animal e ao meio ambiente. Esse algodão também pode ser livre de organismos geneticamente modificados e seguir a princípios da responsabilidade social.

A cultura do algodão orgânico ainda busca promover e melhorar a biodiversidade e os ciclos biológicos dos locais onde ele é produzido, mantendo e recuperando a fertilidade e a vida dos solos e a diversidade de seres vivos.

E tanta preocupação não é à toa. A cultura do algodão tradicional ocupa uma área de 80 milhões de hectares em todo o mundo e usa 25% dos inseticidas consumidos mundialmente. Essa quantidade elevada de produtos químicos acaba poluindo o ar, o solo e os recursos hídricos, diminuindo a biodiversidade e abalando o equilíbrio do ecossistema local, além de causa alergia em alguns consumidores.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma vez colhido e beneficiado, o processamento têxtil do algodão requer o emprego de, pelo menos, oito mil substâncias químicas consideradas tóxicas ou extremamente tóxicas ao meio-ambiente.

A contaminação por agrotóxicos utilizados no cultivo do algodão tradicional pode ocasionar doenças como leucemias, infertilidade masculina, arritmias cardíacas, cistite aguda, insuficiência renal aguda e neoplasia maligna do pâncreas (câncer). As poeiras químicas também podem causar rinites alérgicas, doenças pulmonares obstrutivas crônicas, bissinose, neoplasia maligna (câncer) da cavidade nasal e dos seios nasais.

Para reverter esse quadro, produtores da fibra deram início no final da década de 1980 ao novo modo de produção menos impactante para o planeta. Ao mesmo tempo, muitas indústrias têxteis modificam seus processos de fabricação, para reduzir a poluição que provocam.

Para isso, eles utilizam técnicas alternativas, com base no uso de estercos animais, rotação de culturas, adubação verde, compostagem e controle biológico de pragas e doenças. Esse modelo de cultivo pressupõe ainda a manutenção da estrutura e da profundidade do solo, sem alterar suas propriedades por meio do uso de produtos químicos e sintéticos.

  • A produção do algodão orgânico ainda pode adotar outras técnicas, tais como:
  • Plantio em nível, enleiramento de restos de culturas também em nível e, quando necessária, valetas de retenção;
  • Plantio do algodão nas primeiras chuvas, em consorcio com culturas alimentares;
  • Plantio de variedades precoces de algodão;
  • Catação e destruição dos botões florais caídos;
  • Controle biológico do curuquerê do algodoeiro através do Trichogramma sp;
  • Após a colheita, arranque e enleiramento em nível do algodão herbáceo ou poda do algodão arbóreo e enleiramento dos ramos em nível.

imagem2
Foto: Midpath

Como consequencia, a produção orgânica traz benefícios para o homem e o meio ambiente:

  • Protege o solo e a qualidade das águas subterrâneas (eliminando contaminantes no escoamento superficial)
  • Reduz a ocorrência de insetos e faz o controle de doenças através da substituição do inseticida com a manipulação dos ecossistemas;
  • Prevenção em longo prazo de pragas através do plantio de habitat benéfico;
  • Conservação da biodiversidade;
  • Elimina o uso dos produtos químicos tóxicos usados na produção do algodão;
  • Produção biológica de culturas de rendimento, solos mais profundos, espessos e com maior teor de matéria orgânica, maior quantidade de polissacarídeos e menor módulo de ruptura, o que reduzir consideravelmente a erosão do solo;
  • Melhora a saúde e aumento da renda dos pequenos agricultores (agricultura familiar, comércio justo).

Mas nem tudo são benefícios. O cultivo do algodão orgânico também traz algumas desvantagens:

  • Reduz significativamente a produtividade (até 50%) nos primeiros anos;
  • Maiores variações nas características de fibra, principalmente na cor (deságios);
  • Dificuldades na desfolha, aumento do trash;
  • Dificuldades no controle de ervas daninhas.

Algodão orgânico colorido

Outra fase fundamental para determinar o impacto ambiental de um algodão é quando ele segue para a indústria têxtil para ser transformado em roupas, acessórios e diversos outros produtos. É nessa etapa que o material recebe uma alta dose de componentes químicos responsáveis pelo tingimento da fibra.

Uma alternativa capaz de evitar esse processo é o algodão colorido. Com tons que variam entre o verde, o marrom e o avermelhado, esse algodão já cresce naturalmente tingido, o que evita a etapa da coloração artificial.

Certificado

O certificado de propriedade orgânica é emitido por entidade de respaldo internacional na área e para recebê-lo é preciso seguir a uma série de critérios, dentre eles, deve-se garantir que naquela propriedade não foi utilizado nenhum insumo químico há pelo menos três anos do início da colheita que se pretende certificar.

Faça sua doação!

Estamos precisando muito da sua ajuda e qualquer valor doado é de grande importância.

Você pode impedir que este trabalho importante de conscientização acabe, fazendo sua doação. Todos os recursos obtidos serão utilizados para a manutenção de nossas atividades. Vale lembrar que todo conteúdo é 100% gratuito e acessível a qualquer cidadão.

Clique aqui e saiba como fazer a sua doação!

Comentários

Deixe sua opinião sobre este assunto.

Dicas
Veja Mais Dicas
Guias
Veja Mais Guias
 
Shopping EcoD
Abrasivo Digital