Editorias / Educação
HOME | Notícias | EcoD Básico: Educação a Distância (EaD)

Educação

13 de Outubro de 2010

 

EcoD Básico: Educação a Distância (EaD)

 ead ganha cada vez mais adeptos
Na modalidade de Educação a Distância, é você quem decide quando, como e onde quer estudar/Foto: Bombardier

O que é

A Educação a Distância (EaD) é a modalidade de ensino que permite ao aluno deixar de estar fisicamente presente em um ambiente formal de ensino-aprendizagem, a exemplo de uma sala de aula, bem como a realização do estudo em tempo distinto - ao contrário da educação presencial, na EaD é o aluno quem decide quando, como e onde estudar (autodisciplina).

Outra característica importante da Educação a Distância é a utilização das NTICs (Novas Tecnologias de Informação e Comunicação) para unir o professor ao aluno e transmitir os conteúdos educativos, principalmente através da internet. No entanto, essa conexão também pode ser feita por intermédio da televisão, do correio, rádio, vídeo, CD-ROM, telefone, fax, entre outros.

Impulsionada pelos avanços tecnológicos, pelo número de instituições que investem na modalidade, pela crescente demanda dos estudantes e maior atenção conferida pelo Ministério da Educação (MEC), a alternativa ganha cada vez mais mercado. Atualmente, o Brasil conta com 647 cursos de graduação a distância (e mais de 2 mil que não abrangem graduação) oferecidos por 115 instituições. São mais de 2 milhões de brasileiros ligados a alguma forma de aprendizagem a distância, entre eles, 14% dos estudantes universitários do país.

Para a obtenção de um resultado satisfatório, a Educação a Distância requer a aplicação de alguns itens, tais como:

  • Disciplina para o estudo;
  • Organização do aprendizado, evitando o acúmulo de leituras e exercícios;
  • Envolvimento em qualquer curso presencial;
  • A participação é vital para a integração e a interação, melhorando os resultados da aprendizagem.

Vantagens da Educação a Distância:

  • Combinação entre estudo e trabalho;
  • Permanência do aluno no ambiente familiar;
  • Menor custo por estudante;
  • Diversificação da população escolar;
  • Pedagogia inovadora;
  • Autonomia do aluno;
  • Materiais didáticos já incluídos no preço;
  • Interatividade entre alunos, professores e técnicos de apoio;
  • Apoio com conteúdos digitais adicionais;
  • Conteúdos desenvolvidos com orientação de aplicabilidade;
  • Flexibilidade: Onde estudar? Quando estudar? Em que rítmo?
  • Independência dos meios de transporte, que emitem gases de efeito estufa, congestionam e poluem as cidades.

Desvantagens:

  • Resistência por parte do ser humano à mudança e à aceitação do novo (paradigma);
  • Se não houver equipamento ou se o uso deste for inadequado, pode ocorrer falhas no processo de ensino-aprendizagem;
  • A relação professor x aluno é bastante diferente da relação em aulas presenciais (distanciamento);
  • Alto índice de evasão;
  • Limitação em alcançar o objetivo da socialização em razão das escassas ocasiões para interação pessoal dos alunos com o docente e entre si;
  • A retroalimentação ou feedback e a correção de possíveis erros podem ser mais lentos;
  • Empobrecimento da troca direta de experiências proporcionada pela relação educativa pessoal entre professor e aluno.

Normas legais

A Educação a Distância no Brasil é regida pelo Decreto nº 5.622 de 10 de dezembro de 2005, que regulamentou o artigo 80 da chamada Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Embora a modalidade tenha sofrido algumas alterações em 2007, as exigências básicas originais seguem em vigor e devem ser consideradas pelos estudantes que queiram adotar a EaD, seja na graduação ou na pós-graduação. São elas:

  • Obrigatoriedade de momentos presenciais para avaliações dos alunos, estágios obrigatórios, defesa de trabalhos de conclusão de curso e atividades relacionadas a laboratórios de ensino, sempre que estiverem previstos na legislação pertinente;
  • Necessidade de os cursos e programas terem a mesma duração de seus respectivos oferecidos na modalidade presencial;
  • Exigência de a instituição estar credenciada, autorizada e reconhecida pelo MEC para a oferta de Educação a Distância. Só ao órgão cabe também renovar o credenciamento, a autorização e o reconhecimento;
  • Possibilidade de as instituições credenciadas formarem parcerias, consórcios, convênios, acordos ou contratos entre si para ofertarem cursos e programas a distância em bases territoriais múltiplas.

Além de verificar a conformidade quanto à legislação, os estudantes devem levar em conta critérios como a escolha da instituição, proposta pedagógica, nível do material didático, infraestrutura administrativa e estrutura tutorial disponíveis.

Fontes: O que é Educação a Distância, artigo de José Manuel Morán e Educación a Distancia hoy, artigo de Garcia Aretio, e Ministério da Educação (MEC).

Faça sua doação!

Estamos precisando muito da sua ajuda e qualquer valor doado é de grande importância.

Você pode impedir que este trabalho importante de conscientização acabe, fazendo sua doação. Todos os recursos obtidos serão utilizados para a manutenção de nossas atividades. Vale lembrar que todo conteúdo é 100% gratuito e acessível a qualquer cidadão.

Clique aqui e saiba como fazer a sua doação!

Comentários

Deixe sua opinião sobre este assunto.

Dicas
Veja Mais Dicas
Guias
Veja Mais Guias
 
Shopping EcoD
Abrasivo Digital