Editorias / Biodiversidade
HOME | Notícias | No dia da Camada de Ozônio, ONU destaca importância do Protocolo de Montreal

Biodiversidade

16 de Setembro de 2010

Leia Também

Protocolo de Montreal 29 de Outubro de 2009

Protocolo de Montreal

 

No dia da Camada de Ozônio, ONU destaca importância do Protocolo de Montreal

 o buraco da camada de oz�io na ant�tida ainda preocupa
Recuperação do buraco da camada de ozônio sobre a Antártida está prevista para o final deste século/Imagem: Nasa

Há exatos 23 anos, representantes de cerca de 200 países firmaram no Canadá o Protocolo de Montreal, cujo objetivo estabelece controles rígidos aplicados às substâncias prejudiciais a camada de ozônio, que protege os seres vivos dos rios solares nocivos.

Nesta quinta-feira, 16 de setembro, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) divulgou relatório assinado por 300 cientistas em menção ao Dia Internacional da Camada de Ozônio. Uma das conclusões do estudo aponta que o chamado "escudo da Terra" deverá recuperar-se da ação de substâncias químicas nocivas até metade deste século, mas sua recuperação nas regiões polares levará mais tempo.

Embora muitos agentes de resfriamento e outros compostos prejudiciais ao ozônio não sejam mais produzidos ou emitidos, a exemplo dos clorofluorcarbonos (CFCs) empregados no passado em geladeiras, latas de spray e outros produtos, alguns de seus substitutos industriais são gases-estufa que contribuem muito mais para o aquecimento global, revela o estudo. Entre eles estão os hidroclorofluorcarbonos (HCFCs) e hidrofluorcarbonos (HFCs).

Antártida

Segundo o relatório produzido pelo Pnuma em parceria com Organização Meteorológica Mundial (OMM), o buraco de ozônio que se forma sobre a Antártida na primavera de cada ano só deve retornar aos valores de referência anteriores a 1980 no final deste século.

Quando o buraco está grande, são relatados altos níveis de raios ultravioleta. No entanto, o rombo atual está menor do que nos últimos dois anos, de acordo com o cientista sênior da OMM, Geir Braathen.

Protocolo de Montreal

O relatório da ONU atribui ao Protocolo de Montreal o fato de a perda de ozônio ter sido suspensa e de o efeito estufa ter sido mitigado. Em razão dos controles rígidos aplicados, o pacto evitou a emissão do equivalente a dez gigatoneladas anuais de dióxido de carbono (CO2) - quantidade cinco vezes maior do que as metas de redução dos gases-estufa para 2008-2012 fixadas pelo Protocolo de Kyoto.

Ainda de acordo com o estudo divulgado nesta quinta-feira, as ações de proteção dos raios ultravioletas estão ajudando a evitar milhões de casos de câncer de pele e catarata. Para o chefe do Pnuma, Achim Steiner, sem os mecanismos de proteção da Convenção de Viena, que estabeleceu o Procoloco de Montreal, os níveis atmosféricos de substâncias nocivas à camada de ozônio poderiam ter aumentado 10 vezes até 2050.

Faça sua doação!

Estamos precisando muito da sua ajuda e qualquer valor doado é de grande importância.

Você pode impedir que este trabalho importante de conscientização acabe, fazendo sua doação. Todos os recursos obtidos serão utilizados para a manutenção de nossas atividades. Vale lembrar que todo conteúdo é 100% gratuito e acessível a qualquer cidadão.

Clique aqui e saiba como fazer a sua doação!

Comentários

Deixe sua opinião sobre este assunto.

Dicas
Veja Mais Dicas
Guias
Veja Mais Guias
 
Shopping EcoD
Abrasivo Digital