Editorias / Responsabilidade Social
HOME | Notícias | ONG promove microfinanciamentos e ajuda a reduzir a pobreza

Responsabilidade Social

25 de Junho de 2009

 

ONG promove microfinanciamentos e ajuda a reduzir a pobreza

kiva-8.jpg
Milhares de pequenos empresários, especialmente de países em desenvolvimento, já foram beneficiados com o projeto/Fotos: Divulgação

Com US$ 25 (cerca de R$50) você pode ajudar a mudar a vida de uma pessoa em alguma parte do mundo. Se interessou? Foi pensando nisso que, em 2004, Jessica Jackley e seu marido, Matt Flannery, descobriram uma maneira de ajudar as pessoas que realmente precisavam. Eles criariam uma instituição capaz de intermediar as iniciativas que precisavam de algum tipo de microfinanciamento e as pessoas dispostas a emprestar o dinheiro. O Kiva é considerado a organização sem fins lucrativos que mais cresce no mundo e, desde 2005, já ajudou a movimentar mais de 66 milhões de dólares em todo o planeta.

“Nossa missão não é levantar dinheiro para os empreendedores a qualquer custo”, disse Jackley em entrevista ao Stanford Social Innovation. “Nossa missão é conectar os seres humanos de forma digna, através de empréstimos”, completa. Entre algumas poucas organizações capazes de emprestar grandes quantias e milhares de pessoas dispostas a emprestar um valor pequeno, ela diz preferir a segunda opção. “Especialmente se o dinheiro for vir de ambas as formas”.

kiva.jpg
Afusat Adewuyi, da Nigéria, tem uma pequena confecção de roupas e precisa de US$700 para melhorar seus serviços.

Ela conta que tudo começou quando visitou o Quénia, Tanzânia e Uganda, para avaliar o impacto da Village Enterprise Fund (VEF), uma organização sem fins lucrativos que oferece subsídios e empréstimos para pequenos negócios na África Oriental. A partir dessa experiência, Jackley e seu marido passaram a pesquisar e bolar uma maneira de transformar os microempréstimos em algo real para as pessoas que mais precisavam.

A vontade cresceu ainda mais depois de uma conversa com Muhammad Yunus, fundador do Grameen Bank. “Minha mente dizia: ‘microfinanciamento é eficaz. Isso tem poder. Isso funciona.’ Mas o mais importante foi o que meu coração disse. A forma como ele falava dos pobres foi muito bonita, respeitosa, e digna. Eu não tinha sentimentos de culpa e vergonha. Ao invés disso, eu queria estar lá, ouvindo as histórias das pessoas e conversando com clientes cara a cara”, disse Jackley.

kiva-2.jpg
Yaw Opare, de Ghana, tem uma vídeolocadora já conseguiu US$ 175 dos US$350 dólares que precisava.

Assim, em abril de 2005, os fundadores do projeto mandaram um e-mail contando a história do Kiva para uma lista de 300 amigos. Em menos de dois dias a organização já havia levantado US$ 3.500 e financiado as sete micro empresas cadastradas. Em outubro do mesmo ano, os mutuários já haviam pagado às dívidas e Flannery e Jackley decidiram lançar o projeto oficialmente.

“Um amigo escreveu um release e removemos a palavra ‘beta’ do nosso site”, contou Jackley. Eles adicionaram novos 50 micro-empresários e no mês seguinte eles já haviam recebido mais de US$ 10 mil em empréstimos.

Agora, pequenas organizações de todo o mundo (especialmente dos países em desenvolvimento) teriam acesso a crédito livre, flexível e vindo de uma fonte inédita – financiadores individuais ao redor do mundo.

kiva-7.jpg
Flannery e Jackley - idealizadores e fundadores do Kiva ("acordo" ou "unidade" em swahili).

Como funciona

1º - Ao entrar no site do Kiva, o internauta terá acesso a vários pedidos de empréstimos na página principal e também na área “Business IN NEED”. O candidato apresenta-se com o nome, foto, quantia total de que necessita e explica como irá utilizar o dinheiro do empréstimo. 118 organizações parceiras espalhadas pelo mundo auxiliam o Kiva a escolher esses pequenos empresários e oferecem treinamento para que eles saibam aproveitar melhor o investimento.

2º - Caso se interesse em emprestar o dinheiro e assim patrocinar o projeto de um (ou mais) candidato, a pessoa poderá transferir o valor (a partir de US$25) para o Kiva, através do Paypal. O Kiva então, se encarregará de entregar esse dinheiro ao pequeno empreendedor.

3º - A pessoa financiada deverá dar notícias sobre o andamento do projeto periodicamente, que será acompanhado pelo financiador. Ele poderá obter essas informações através do site do Kiva ou diretamente na sua caixa de e-mail.

4º - Dentro de seis meses a um ano, o empréstimo deverá ser quitado integralmente. O dinheiro, então, ficará novamente disponível para o financiador que poderá alocá-lo num novo empréstimo ou simplesmente aplicá-lo de volta à sua conta bancária.

kiva-3.jpg
Anna Ndiaye trabalha com avicultura há sete anos e quer investir mais US$225 na sua produção.

Evolução

Com a missão de “conectar as pessoas por meio de empréstimo para aliviar a pobreza”, o Kiva já conta com centenas de parceiros, apoiadores e investidores em todo o mundo, a maioria das empresas apresentadas no site são financiadas em menos de uma hora, novos mutuários são adicionados diariamente e potenciais financiadores são convidados a voltar a participar do programa.

Manutenção

O Kiva é uma organização sem fins lucrativos. Isso significa que ela não cobra juros ou taxas nem para os mutuários nem para os financiadores. Quem empresta também não recebe por isso. A exata quantia emprestada é devolvida pelos microempresários. A taxa de adimplência, ou seja, o número de credores que pagam sua dívida, é de 99,7%.

A organização se mantém graças a doações, sobras dos créditos (como Cartões de Presentes e devoluções não sacadas) e rendimentos bancários – como o Kiva recebe investimentos diariamente e repassa-os de uma só vez aos pequenos empresários uma vez por mês, esse dinheiro fica rendendo no banco. Eles ainda dão aos investidores a opção de doar 10% do valor da doação à organização. Uma pessoa que queira doar, US$ 50, podem oferecer US$ 5 ao Kiva, por exemplo.

Diversas empresas e multinacionais já colocaram seus serviços à disposição da organização. PayPal, Ernst & Young, Google, YouTube, Yahoo!, Intel, American Express, Facebook, Microsoft, MySpace e MTV são algumas delas.

O projeto também recebeu elogios de personalidades, como o ex-presidente norte-americano, Bill Clinton, e apresentadora Oprah Winfrey, que teve seu site indisponível devido ao grande número de acessos no dia que apresentou o projeto no seu programa diário de TV.

kiva-4.jpg
A peruana Eusebia Mamani de Pinazo já recebeu US$300 para melhorar mercearia e pretende pagar o empréstimo em sete meses.

Desafios

Apesar do apoio e do crescimento do projeto, seus fundadores garantem que nem tudo são flores. Além dos problemas financeiros comuns a qualquer organização sem fins lucrativos, O Kiva sofre com outros problemas, como a necessidade de orquestrar uma grande quantidade de stakeholders, como doadores, mediadores, receptores, parceiros e staff. “Se você é um fundador de uma organização com fins lucrativos, você pode simplesmente gerir o próprio negócio e não tem que ganhar o consenso conjunto das pessoas”, diz Flannery.

Além disso, existe uma grande cobrança sobre todas as movimentações financeiras da organização. “Todos querem saber quanto dinheiro nós arrecadamos, lêem nossas finanças e nos questionam a todo o momento”, conta Flannery. “Eu fico feliz porque isso nos fortalece, mas também pode nos atrasar”.

Apesar de tudo isso, os fundadores garantem que o Kiva não pára de crescer. Flannery mede a evolução do projeto não apenas na quantidade de dinheiro arrecadado, mas também no impacto que ele tem na mente dos envolvido. Ela defende que a conexão de pessoas que precisam com pessoas dispostas a ajudar é “a mais poderosa força capaz de mudar o planeta”.
 

Faça sua doação!

Estamos precisando muito da sua ajuda e qualquer valor doado é de grande importância.

Você pode impedir que este trabalho importante de conscientização acabe, fazendo sua doação. Todos os recursos obtidos serão utilizados para a manutenção de nossas atividades. Vale lembrar que todo conteúdo é 100% gratuito e acessível a qualquer cidadão.

Clique aqui e saiba como fazer a sua doação!

Comentários

Deixe sua opinião sobre este assunto.

Dicas
Veja Mais Dicas
Guias
Veja Mais Guias
 
Shopping EcoD
Abrasivo Digital