Editorias / Carros e Transportes
HOME | Posts | 2011 | Setembro | EcoD Básico: Compartilhamento de bicicletas

Carros e Transportes

14 de Setembro de 2011

 

EcoD Básico: Compartilhamento de bicicletas

capa.jpg
Foto: Bicing

Com o aumento das frotas de carros e dos problemas consequentes desse fenômeno, como mais engarrafamentos, níveis de poluição e índices de acidentes, muitas cidades estão repensando seus modelos de mobilidade e adotando novos programas que ajudem a tornar o trânsito mais sustentável.

Uma das propostas que mais tem crescido em todo o mundo é a de compartilhamento de bicicletas, ou bike sharing. Cidades como Paris, Barcelona, Londres e Toronto são algumas das que já adotaram o modelo e têm visto crescer o número de ciclistas em suas ruas.

De uma forma geral, o compartilhamento de bicicletas consiste em disponibilizar bikes em estações públicas espalhadas pela cidade para que moradores ou visitantes possam alugá-las por um pequeno espaço de tempo e devolvê-las em seguida em outra estação.

Em comum, todos os programas buscam reforçar a imagem da bike não apenas um objeto de lazer e esporte, mas também como um veículo eficiente e limpo. Disponíveis em estações que geralmente ficam próximas de redes de metrô, trens, ônibus e outros modais, as bicicletas se tornam ferramentas úteis para estimular aqueles que queiram deixar o carro em casa e usar os transportes públicos.

Além da praticidade, o baixo custo é outra vantagem dos programas, que geralmente cobram uma mensalidade anual, pequenas quantias pelo período de 30 minutos e nada se a viagem durar menos que isso. Aos que passarem da meia hora com a bicicleta é cobrado uma taxa que varia entre 0,50 euros e 1,50 dólares canadenses.

Os programas funcionam de forma semelhante – apesar de existirem algumas particularidades em cada um deles. Primeiro, o interessado deve fazer um cadastro no site ou na sede do projeto utilizando seus dados pessoais e um cartão de crédito – de onde será debitada a taxa anual, as tarifas por uso e de onde será cobrando um valor específico caso o usuário não devolva a bicicleta.

Em alguns casos é preciso esperar o envio de um cartão próprio do programa (como em Barcelona) ou de uma chave (como em Londres) para começar a liberar as bicicletas nas estações. Já em outros modelos (como o francês) basta passar um cartão de crédito com chip no terminal para receber um código de acesso e poder retirar a bike.

Em alguns programas, os visitantes podem usar cartões de crédito para alugar a bicicleta por determinado período, como um dia ou uma semana – sem a necessidade de pagar anuidade. Em compensação, essas taxas costumam ser mais caras. Outros programas só aceitam que pessoas com residência fixa na cidade desfrutem do serviço.

Pedalusp

Aqui no Brasil, estudantes da USP montaram um projeto de bikes compartilhadas que está sendo utilizado no campus da própria universidade. Em cada estação, o aluno pode pegar uma bicicleta por até 20 minutos - basta possuir o cadastro do cartão do estudante USP e se inscrever no site do projeto.

Faça sua doação!

Estamos precisando muito da sua ajuda e qualquer valor doado é de grande importância.

Você pode impedir que este trabalho importante de conscientização acabe, fazendo sua doação. Todos os recursos obtidos serão utilizados para a manutenção de nossas atividades. Vale lembrar que todo conteúdo é 100% gratuito e acessível a qualquer cidadão.

Clique aqui e saiba como fazer a sua doação!

Comentários

Deixe sua opinião sobre este assunto.

Dicas
Veja Mais Dicas
Guias
Veja Mais Guias
 
Shopping EcoD
Abrasivo Digital