Editorias / Energia
HOME | Posts | 2011 | Setembro | Expansão do programa nuclear brasileiro será mantida, afirma Lobão

Energia

15 de Setembro de 2011

Leia Também
 

Expansão do programa nuclear brasileiro será mantida, afirma Lobão

 vista geral das obras da usina termel�rica nuclear (utn) angra 3, em angra dos reis, no rio de janeiro
Vista geral das obras da usina termelétrica nuclear (UTN) Angra 3, em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro/Foto:  Divulgação Eletronuclear

"A despeito dos recentes episódios no Japão, o Brasil mantém a sua política de expansão do programa nuclear". A afirmação foi feita nesta quinta-feira, 15 de setembro, pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, ao participar de um evento sobre energia no Rio de Janeiro.

Segundo ele, apesar do acidente ocorrido em março com a Usina de Fukushina, no Japão, que chamou a atenção da sociedade mundial para a segurança dos reatores, o Brasil vai ampliar a exploração dessa fonte energética. Temos duas usinas funcionando [Angra 1 e 2], estamos construindo a terceira [Angra 3] e temos projetos de construir mais quatro. Temos ainda a possibilidade de construir outras em território nacional”, observou Lobão.

De acordo com o ministro, o governo ainda não definiu os locais onde essas novas usinas serão construídas. Lobão também destacou que o sistema de segurança das usinas nucleares brasileiras é diferente do aplicado em Fukushima, além de argumentar que um estudo encomendado pelo ministério à Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e à Eletronuclear confirmou sua confiabilidade e eficiência.

Ele citou o exemplo da China, que está construindo 28 reatores nucleares e tem projeto para construir mais 100 nos próximos 40 anos.

Projeto de lei é contrário à expansão

Na contramão do objetivo do governo federal está um projeto de lei do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que busca decretar a moratória no uso da energia nuclear, conforme o EcoD mostrou em julho deste ano. A proposta suspende a construção de novas usinas termonucleares em todo o território nacional pelo prazo de 30 anos.

Na justificativa do PLS 405, que terá decisão terminativa na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI), Cristovam Buarque afirmou que a suspensão preventiva contribuirá para afastar do país o clima de incerteza sobre a energia nuclear e não restringirá as pesquisas científicas no setor.

Faça sua doação!

Estamos precisando muito da sua ajuda e qualquer valor doado é de grande importância.

Você pode impedir que este trabalho importante de conscientização acabe, fazendo sua doação. Todos os recursos obtidos serão utilizados para a manutenção de nossas atividades. Vale lembrar que todo conteúdo é 100% gratuito e acessível a qualquer cidadão.

Clique aqui e saiba como fazer a sua doação!

Comentários

Deixe sua opinião sobre este assunto.

Dicas
Veja Mais Dicas
Guias
Veja Mais Guias
 
Shopping EcoD
Abrasivo Digital