Editorias / Biodiversidade
HOME | Posts | 2013 | Março | Brasil tem apoio de 120 países para coibir comércio de animais em extinção

Biodiversidade

14 de Março de 2013

Leia Também
 

Brasil tem apoio de 120 países para coibir comércio de animais em extinção

tubarao.gif
A inclusão dessas espécies significa um maior controle do comércio
Foto: Codi Grifiti

A 16ª Conferência da Convenção sobre Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção (Cites) foi realizada na Tailândia até quinta-feira, 14 de março. Enquanto alguns países alertaram para a ameaça aos elefantes, caçados devido ao marfim, e aos crocodilos (em razão do couro), o Brasil tentava alertar a mais de 170 países sobre o risco da superexploração do setor pesqueiro para quatro espécies marinhas.

Depois de uma batalha que durou dez dias, o país conseguiu uma vitória internacional histórica: o apoio de 120 nações para o controle sobre o comércio internacional de três espécies de tubarão: martelo (hammerheads), galha-branca (oceanic whitetip) e Lamna nasus (porbeagle), além das raias-jamanta (manta rays).

Segundo a oceanógrafa e analista ambiental, Monica Brick Peres, gerente de biodiversidade aquática e recursos pesqueiros da secretaria de biodiversidade e floresta do Ministério do Meio Ambiente (MMA), o alto preço cobrado no mercado internacional pela barbatana ameaça as espécies no mundo e no território brasileiro.

O alto preço cobrado no mercado internacional pela barbatana ameaça as espécies no mundo e no território brasileiro.

"Essas espécies estão ameaçadas de extinção no mundo e no Brasil, com declínios populacionais acentuados. A principal ameaça a todas elas é o mercado internacional de barbatanas (nadadeiras, no caso de tubarões e guelras, no caso das arraias), que atingem altíssimo valor no mercado oriental", afirmou Monica à Agência Brasil. Ela foi uma das coordenadoras da proposta brasileira.

A analista ambiental destacou que a inclusão dessas espécies não significa proibição de pesca ou limitação de mercados, mas um maior controle do comércio.

A conferência também rendeu a votação brasileira a favor de várias propostas de controle e proteção de outras espécies ameaçadas.

O EcoD mostrou recentemente que, no Brasil, o governo publicou, no dia 13 de março, uma instrução normativa que proíbe a pesca direcionada, o armazenamento, o transporte e a comercialização do tubarão galha-branca, conhecida cientificamente como Carcharhinus longimanus.

Faça sua doação!

Estamos precisando muito da sua ajuda e qualquer valor doado é de grande importância.

Você pode impedir que este trabalho importante de conscientização acabe, fazendo sua doação. Todos os recursos obtidos serão utilizados para a manutenção de nossas atividades. Vale lembrar que todo conteúdo é 100% gratuito e acessível a qualquer cidadão.

Clique aqui e saiba como fazer a sua doação!

Comentários

Deixe sua opinião sobre este assunto.

Dicas
Veja Mais Dicas
Guias
Veja Mais Guias
 
Shopping EcoD
Abrasivo Digital